Escoteiros Florestais, uma história de sucesso!


FB_IMG_1515624044837

FLORESTAIS – narrados na primeira pessoa.
Apresentação do Escotismo Florestal
No ano de 1995 quando eu era Tenente da Policia Militar de Alagoas, participei do Curso Estratégias Para Preservação da Natureza, realizado para Oficiais das Policias Militares do Brasil, no Estado do Mato Grosso.
Durante o curso foi mostrado um trabalho com jovens parecido com o movimento escoteiro. Gostei muito e decidi que ao chegar ao Estado de Alagoas iria desenvolver um trabalho com jovens visando à defesa do meio ambiente.
Falei na época comandante da Cia Florestal mais não consegui apoio para fazer o projeto dentro da PMAL, nessa na época estávamos com muitos problemas porque os salários estavam atrasados. Diante da situação decidi tirar Licença Especial (três meses) por causa do desgoverno que tinha se implantado em Alagoas. Ao retornar da Licença fui para lotado na Academia de Formação de Oficiais. Os Cadetes (Alunos de Oficiais) estavam sem entusiasmo e sem motivação, por ter sido nomeado como coordenador de formação criei estratégias para melhorar a tropa e a estratégia deu certo os Cadetes mudaram parecia outra tropa. Mais ficava faltando algo, eu sentia falta da vida que levava antes quando estava na Companhia Florestal junto à natureza, através caminhadas pelas matas!
Ai voltou a acender a chama de criar um projeto voltando para o meio ambiente com os jovens! Ao começar fazer a pesquisa descobrir que nas livrarias não tinham livros voltado para o escotismo, fui para bibliotecas e pesquisei nos poucos livros que falava sobre o assunto!
Nessa época o Estado ficou um caos o governador deixou de pagar os salários dos servidores chegando a ficarem uns quatro meses com salários atrasados. Participei ativamente das manifestações para tira o Governador da direção do Estado. Como forma de controlar a tropa o Comandante afastou das funções 59 oficias que para ele eram os liderem do movimento e eu estava entre eles.
Sem função e cargo na PMAL, fiquei com tempo de sobra para realizar o projeto para os jovens e conseguir vários manuais de ex-escoteiros da UEB, mais uns dos desbravadores, imperadores do Rei e comecei a ler tudo que fosse ligado com a formação de jovens.
Conversei com alguns amigos que tinha sido ligado a UEB, na época única entidade de escoteiro em atividade no Brasil e outros ligados aos Desbravadores. Com as informações e um projeto inicial formatado fui para a comunidade onde nasci e falei com alguns jovens na praça e ao concordarem participar do projeto fui falar e explicar aos pais deles como seria o projeto, ao receber a autorização dos pais, marcamos o dia para iniciar!
No dia 19 de novembro de 1996, iniciamos a reunião com 12 jovens e na ocasião quando todos estavam em forma anuncie que naquele momento estava sendo criada uma nova organização de escoteiros a nível Nacional. Fiquei durante cerca de seis meses fazendo instruções com os jovens sem fazer qualquer divulgação. No mês de julho de 1997, quando percebi que os jovens estavam prontos, procurei a imprensa e apresentei o projeto. Os jornais estamparam nas capas, a boa nova do Escotismo brasileiro “NATUREZA GANHA OS ESCOTEIROS FLORESTAIS”. “UM CASO DE AMOR A NATUREZA”.
No mesmo mês o Governador foi afastado e para comandar a Policia Militar de Alagoas veio um Coronel do Exercito Brasileiro e todos os oficias afastados foram nomeados funções e cargos dentro da PMAL, voltando as atividades normais no meu caso a de Tenente, sendo lotado no Batalhão de Guardas e agora com o titulo de Chefe de Escoteiros Florestais.
A divulgação dos Escoteiros Florestais foi não parou nas Televisões, Rádios e Jornais. Ao tomar conhecimento que tinha um oficial da PMAL a frente dos Escoteiros Florestais, o Comandante da Corporação mandou me chamar e ao conversar com ele o mesmo falou que tinha sido escoteiro quando era criança, expliquei que não éramos filiados a UEB e que era uma nova modalidade, ele simplesmente falou que isso não importava para ele, porque o que era importante era o trabalho jovens e não se se era filiado ou não. Ofereceu apoio institucional, ônibus para viagem e acampamentos (foi uma época boa).
Na ocasião já estávamos com um efetivo razoável com meninas e meninos. Apareceram vários adultos. Sendo os jovens devidos em Ramos:
– Faixa etária de 7 aos 10 anos – Florestinha;
– Faixa etária de 11 aos 14 anos – Escoteiro Florestal Juvenil;
– Faixa etária de 15 aos 17 anos – Seniores;
– Faixa etária de 18 aos 20 anos – Pioneiros.
– A partir dos 21 anos – Chefes ou Escotistas.
Já em 1999 a organização dos Escoteiros Florestais do Brasil (AEFB), foi reconhecida com entidade de utilidade publica pelo governo de Alagoas.
As atividades eram feitas de forma isolada, começando pelos morros e grotas de Maceió, excursões para outros Estados como Pernambuco, Sergipe e Bahia e muito acampamentos junto a natureza, dentro uma atividade utilizado três ônibus para transporta o efetivo.
Em 2007 fiquei sabendo da criação da AEBP, então liguei para o Chefe Mario Greggio e externei meu apoio a nova entidade de Escoteiro. Vir à possibilidade de interagir com outros escoteiros. Mais somente em setembro de 2009 recebemos a visita de diretores da AEBP e ao manterem contato com os chefes e membros juvenis do Escotismo Florestal, concordaram que os escoteiros florestais eram uma nova modalidade do movimento escoteiro.
No inicio não tínhamos a formatação que temos hoje a exemplo do nosso lema que era “sempre atento”, hoje adotamos o lema “Sempre Alerta”, sêniores eram denominados de Veteranos. Aos poucos vamos aperfeiçoando e ficando o mais próximo possível dos demais irmãos escoteiros. Porém tem aspectos que não foram mudados a exemplo dos Florestinhas (membros de 07 a 10 anos) que usam a magia da historia do Beija-flor. Nossos distintivos foram criados para atender a nossa modalidade, como é o caso da nossa flor de lis que tem uma árvore.
Uma característica que desde o inicio foi implantada foi o Sistema de Patrulha, criado em 1907, pelo General Inglês Baden-Powell. Confesso tentei outras formas mais não conseguir, porque como disse nosso fundador o sistema de patrulha é a única forma do escotismo ser praticado.
Hoje, estamos vivendo um momento muito bom para nossa modalidade, fazemos excursões para outros Estados e mantemos contados com outros escoteiros sejam eles ligados a quaisquer associações. E tem sido muito bom para os jovens esse contato com os outros irmãos escoteiros, onde aprendemos músicas e outras atividades. Quanto mais conheço outros escoteiros e escotista mais fico encantado com esse fabuloso movimento. Nossos chefes já participaram de cursos oferecido pela AEBP neste próximo mês vamos participar de uma atividade organizada pela Associação Pernambucana de Escoteiro (ligada a FET). Aqui em Alagoas vivemos como realmente irmãos com os membros da UEB. Já participamos de Assembleia nacional de chefe de escoteiros, realizada em São Paulo, onde fizemos uma palestra explicativa do escotismo florestal. Hoje, através da internet mantemos contato com muitos praticantes do escotismo e tocamos muitas experiências.
Estamos hoje criando grupos em vários Estado do Brasil, a exemplo: do Rio Grande do Sul, de São Paulo e outros em processo de criação. E estamos preparando estratégias para ser criadas Organizações dos Escoteiros Florestais em outros países.
A administração a nível nacional da modalidade é da Organização dos Escoteiros Florestais do Brasil com sede em Alagoas, a Organização mantém contato de cooperação e irmandade com várias associações, federações e grupos de escoteiros do Brasil, como a Associação Escoteira Baden-Powell, Federação dos Escoteiros Tradicionais, Escoteiros Católicos, Escoteiros Luteranos, Associação Pernambucana de Escoteiros, Associação dos Escoteiros Independentes Athenas Maranhense, Associação Grupo Escoteiro Pinheiros, Escoteiros Voluntários da Pátria, Grupos filiados a União dos Escoteiros do Brasil e outras entidades independentes e populares do escotismo brasileiro.
Os novos grupos podem ser filiados ou não a qualquer entidade do escotismo brasileiro. Administramos por sugestões e não por determinações.

Maceió, 28 de outubro de 2011

Luiz Fidelis Torres – Major da PMAL
Presidente do Escotismo Florestal

2 comentários sobre “Escoteiros Florestais, uma história de sucesso!

  1. Interessante que a os oficiais saem da PM mas querem ser chamados pelos títulos ainda. Pelo que sei no movimento escoteiro não existe major!

    Curtir

Gostou deste post, então da um like e comenta. Vlw :)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s