Associação Pernambucana de Escoteiros – uma construção permanente, parte I.


21 de Julho de 1917 foi fundada a Associação Pernambucana de Escoteiros, organização que viria a se tornar a mais antiga associação escoteira em funcionamento do Brasil,  e uma das mais antigas do mundo, passados 103 anos a APE, se mantém jovem em objetivos e anseios da juventude, porém tendo sempre um carinho especial com sua história e com os que ajudaram a moldá-la.

Inacio Batsita Cardoso

O ano era 1917 e o dia 21 de julho, uma tarde de sábado, um visitante ilustre chegava ao Recife era o General Ignácio Batista Cardoso, eram os primeiros anos da recém proclamada República brasileira e o General aliado de primeira hora do alagoano Floriano Peixoto, havia recebido a incumbência de visitar os estados do Nordeste com o objetivo de fortalecimento do governo de Venceslau Brás Pereira Gomes que havia assumido a presidência em 1914, mineiro de São Caetano da Vargem Grande, hoje Brazópolis em sua homenagem, era o 6º presidente do Brasil e foi eleito ao estilo da conturbada república do café com leite. Era o período onde os estados tinham presidentes, de inúmera revoltas como a da chibata, das grandes secas no Sertão Nordestino, do Cangaço, do tenentismo, logo viria a acontecer a Coluna Prestes,  o integralismo, a grande Greve de 1917, em plena Primeira Guerra Mundial e logo chegaria a Segunda Grande Guerra, na verdade não era um momento muito fácil para o governo central. Nesse panorama era extremamente necessário a unificação do pais em torno desse governo e nada mais adequado do que os Escoteiros para formar cidadãos fiés a nova ordem vigente é com essa tarefa que o General desembarca em Recife, visionário e estrategista como um bom militar convoca um grupo de homens, advogados, professores, médicos, magistrados, empresários que seriam os condutores desse trabalho com a juventude e assim montar um diretoria que fosse capaz de influenciar a sociedade foram eles:

Presidentes de honra – Joaquim Ignácio Baptista Cardoso – Republicano histórico e convicto , conhecido como “Alferes da República” por sua atuação ao lado do marechal Floriano Peixoto na consolidação da República, avô do ex presidente Fernando Henrique Cardoso e

Dr. Antônio Vicente de Andrade Bezerra que em 1918  foi eleito deputado federal pelo estado de Pernambuco, conseguindo ser reeleito em seguida. Na Câmara, assumiu as funções de primeiro Secretário e Presidente da Comissão de Legislação e Justiça. Em 1934, nas primeiras eleições realizadas para a composição das assembleias estaduais após a revolução de 1930, foi eleito deputado estadual em Pernambuco. Ao assumir a Presidência da Assembleia Legislativa, chegou a assumir o Governo de Pernambuco de forma interina.

Presidente da fato Dr. OIinto Victor, que que professor na cidade do Recife porém carece de mais informação;

Vice presidente Inácio de Barros Barreto, que foi eleito deputado federal pelo estado de Pernambuco em março de 1930. Assumiu sua cadeira na Câmara dos Deputados no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, em maio seguinte, mas teve o mandato interrompido em outubro com a vitória da Revolução de 1930, que levou Getúlio Vargas ao poder e extinguiu todos os órgãos legislativos do país. No campo jornalístico, colaborou com o Jornal do Recife e o Boletim da Sociedade Auxiliadora de Agricultura de Pernambuco, também na capital pernambucana;

Dr. Manoel Gonçalves da Silva Pinto como Tesoureiro o mesmo carece de mais informação;

O jornalista Américo R. Netto como Secretário que carece de mais informações;

Para Diretores de semana os senhores:

Dr. Manoel Antônio de Moraes Rego, homem público de destaque em sua atividade e de reconhecida estatura moral, foi nomeado, em 1915, pelo governador Manoel Borba para administrar o Recife, cargo que exerceu como prefeito da cidade até 1918. Foi professor da Escola de Engenharia de Pernambuco, de 1904 a 1951, e diretor da instituição por dois períodos, de 1917 a 1930 e de 1939 a 1948. Moraes Rego foi também engenheiro-chefe de fiscalização do porto do Recife. Em 1905, fundou a Escola Livre de Engenharia. Foi fundador do Clube de Engenharia de Pernambuco, em 1919, e presidente do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Pernambuco (Crea-PE) em dois mandatos, em 1941 e 1947;

Dr. Francisco Saturnino Rodrigues de Britto, mais conhecido como Saturnino de Britto (Campos, 14 de julho de 1864 — Pelotas, 10 de março de 1929), engenheiro sanitarista brasileiro que realizou alguns dos mais importantes estudos de saneamento básico e urbanismo em várias cidades do país, sendo considerado o “pioneiro da Engenharia Sanitária e Ambiental no Brasil”, em 1920 projetou a retificação do Rio Tietê sem a construção das vias marginais. Os planos incluíam um parque com 25 quilômetros de extensão por 1 quilômetro de largura ao longo do rio, o qual seria o maior parque fluvial do mundo, seis vezes maior que o Central Park em Nova Iorque, o mesmo projetou o saneamento do Recife entre outras cidades no Brasil e no exterior;

Dr. Luís Correia de Brito (Luiz Corrêa de Brito, na grafia original arcaica), mais conhecido como Correia de Brito (Salvador, 21 de julho de 1859 — 11 de setembro de 1930), foi um engenheiro, empresário e político brasileiro. Foi senador pelo Estado de Pernambuco de 1927 a 1930, além de deputado federal de 1918 a 1926;

Dr. Luiz da Costa Porto Carreiro Neto –  brasileiro, doutor, engenheiro , professor e assistente da Escola Politécnica do Rio de Janeiro, um dos maiores médiuns do Brasil , seguidor de Francisco Valdomiro Lorenz e companheiro de Francisco Cândido Xavier . Nasceu em 7 de janeiro de 1895 em Recife , Pernambuco e morreu no Rio de Janeiro às 10 da manhã de 21 de julho de 1964. Foi diretor do Instituto de Química da Escola Politécnica de 1937 a 1946. Secretário Geral da BEL e vice-presidente da BKE , vice-delegado chefe da UEA , membro do comitê de idiomas. Membro vitalício da Federação Espírita Brasileira . Delegado de Pernambuco no Conselho Federal Nacional Espírita. Membro da Sociedade Brasileira de Cultura Alemã e membro honorário do Instituto Brasileiro de Geografia. Campeão do xadrez , ele era especialista em finais artísticos. Publicou de 1932 a 1934 um artigo na revista “Xadrez Brasileiro”.

Dr. Arthur da Silva Rego – que foi desembargador de Pernambuco porém carece de mais informações.

20200721_004020

A Associação Pernambucana de Escoteiros, fundada em 21 de julho de 1917,  cujos atos constitutivos foram registrados em 21 de Julho de 1917, no 1º Registro de Títulos e Documentos e Registro Civil de Pessoas Jurídicas Mabel de Hollanda Caldas protocolado sob o nº 4240 e Registrado no Livro A-01, sob o nº 119 em 21 de Julho de 1917, com matéria Publicada no Diário Oficial da União em 21 de Julho de 1917,  foi inicialmente compostas por estes homens, podemos verificar que foram pessoas de grande contribuição para a sociedade pernambucana, para o Brasil e para o mundo, nesta data os Escoteiros em Pernambuco  tem grande orgulho em dizer que além desses homens podemos citar Luiz Gonzaga, Rodolfo Aureliano e muitos outros conhecidos e anônimos que contribuiram com o fortalecimento do movimento em Pernambuco. Hoje a direção da APE é composta completamente por homens e mulheres egressos do Movimento Escoteiro Pernambucano que mantém o espírito de colaboração e compromisso com a construção de uma sociedade mais justa e fraterna por meio do “aprender fazendo” para que deste forma possam auxiliar os jovens a escrever seus projetos de vida.

Pernambuco, 21 de julho de 2020.

Gostou deste post, então da um like e comenta. Vlw :)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s